Encontrei ou fui encontrada?

Há alguns anos escolhi, em certa ocasião, os Volumes II e III da trilogia de Tarô de Nei Naiff, como presente. Optei por esses dois volumes por considerá-los mais práticos e objetivos na época.

 

Eis que, ano passado, retomo meus estudos de Tarot e resolvi “ler de verdade” as obras. Imediatamente lamentei não ter adquirido também o livro I, pois me dei conta de que várias dúvidas que estava tendo durante a leitura do segundo volume estavam na realidade esclarecidas já no primeiro.

Em uma mensagem rápida para o Nei, descobri que injustamente a triologia se encontrava esgotada e sem previsão concreta de nova tiragem. Um verdadeiro absurdo para o universo do Tarot, pois trata-se de uma obra que deveria ser traduzida e publicada em diversos países. Já li bastante coisa sobre Tarot, mas essa triologia do Nei está entre as melhores literaturas já produzidas sobre o tema. Didático, claro e fruto de um saber embasado em anos de pesquisas, comparações e vivências. Muitas vezes não valorizamos o que é brasileiro, ou o que é contemporâneo – e por preconceito acabamos negando o próprio acesso a um conhecimento incrível.  Foi assim comigo durante anos, com os livros encostados na estante.

Enfim, voltando ao assunto… Mês passado, de férias em Balneário Camboriú, visitei, por insistência de meu namorado, um pequeno sebo no meio de uma movimentada avenida comercial. O sebo parecia meio vazio, com pouca variedade de títulos. Qual não foi minha surpresa ao encontrar uma estante com poucos – porém maravilhosos – títulos sobre Tarot. Entre eles, o tão almejado Volume I da Trilogia de Nei Naiff : Tarô, Ocultismo & Modernidade, que é tudo o que eu imaginava e ainda mais.

Como “co-incidência” pouca é bobagem, na mesma estante encontrei alguns livros sobre simbolismo e mundo animal… Bem, quem me conhece ou já acompanhou alguns textos do meu blog sabe da afinidade especial e espiritual que eu tenho com os felinos.  Sem mais nem menos, puxo da estante um livro chamado “A Mente Felina – a vida do homem vista pelos olhos de um gato”, de autoria de Mama San Ba-ab Rampa, esposa de Lobsang Rampa, o qual descobri ser um autor famoso (do qual sinceramente desconhecia totalmente a existência até o momento em que me deparei com o livro de sua esposa, mas que já me despertou imediata simpatia diante do fato de ele ser um cat lover também!)

Enfim, achei incrível que num sebo super vazio acabei me deparando não apenas com um, mas com dois livros em perfeita sintonia com minha personalidade, buscas e interesses. Coisas da vida.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s