Rider Waite Tarot Enigmas – Os Arcanos Espelhados, Parte 1

Em uma conversa com Leonardo Chioda,  ele comentou sobre as sutilezas simbólicas do Rider Waite:

– Você já reparou que tem Eremita no Louco?
E eu:
– Como assim?
– Veja, são as mesmas montanhas nevadas ao fundo…

Na época achei interessante, mas não dei continuidade ao tema. Até que uns dias atrás Giancarlo Kind Schimidt publicou em sua página do Facebook uma nota sobre o encaixe dos fundos certas lâminas do RW, formando um grande quebra cabeças. Na hora, peguei o baralho e tentei reproduzir a imagem que ele postou. A imagem era apenas sugestiva e não encaixava da forma que foi mostrada, mas fiquei instigada a pesquisar outras combinações.

Enquanto estudava a relação simbólica entre os Arcanos Maiores desse baralho, comecei a notar que alguns dos Arcanos apresentavam uma semelhança estrutural que ia além da presença de símbolos em comum nas cartas: a diagramação e disposição dos elementos nas lâminas eram bastante semelhantes, quase como se seguissem um molde. Instigada com a ideia, comecei a buscar esse padrão em todos os 22 Arcanos… em alguns deles, isso aparece de forma bastante evidente. Em outras, bem mais sutil. Entretanto, cheguei a conclusão de os 22 Arcanos Maiores foram elaborados em 11 pares, com uma relação de espelhamento entre eles. Ainda estou realizando estudos para tentar compreender o que essas relações significam. Nunca vi nada publicado a respeito, se alguém tiver biografia sobre o assunto, agradeço a indicação.  Talvez não tenhamos 11 pares, mas 39, se os Menores seguirem a mesma lógica de espelhamento.

Assim, compartilharei com vocês, os espelhamentos que encontrei entre os Maiores. Hoje, apresento os dois primeiros pares em que observei essa relação e que me levaram a esse insight.

 

O Diabo e os Enamorados

As escolhas que podem  aprisionar / União abençoada X Escravos da paixão

As semelhanças simbólicas são óbvias: os dois casais nus, na mesma posição; os frutos das Árvores que aparecem nos Enamorados como cauda das mesmas pessoas no Diabo, a figura central. Mas observando bem a carta, comecei a notar que além desses elementos, a diagramação era basicamente idêntica.

Comparem as cartas e o que chamo de “molde”:

01

A Roda da Fortuna e o Mundo
Processo de mudança que leva a uma realização / Universo mutável  X  Universo apoteótico

Temos, em ambos, os quatro querubins representando os elementos nos quatro cantos, e no centro um elemento circular / elíptico, dando ideia de continuidade. A forma sinuosa da serpente é correlata a sinuosidade do manto. Mas temos, mais uma vez, a mesma diagramação das cartas:

02

No próximo post, mais pares organizados com os diagramas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s