Peixes

pisces16

Peixes rege os pés.
Peixes rege o todo.

astrologylrg-440x600

Segundo a reflexologia, os pés possuem pontos que correspondem a toda estrutura do corpo.

reflex-chart-of-foot

Peixes rege o todo.
Vesica Piscis, o arquétipo da criação.

images

Céus e Terra, Masculino e Feminino, Acima e A baixo.
O eclipse.

SolarEclipse(264x393)

Peixes entrega.
Peixes. Religião.

O Peixe é o símbolo do Cristianismo.
Jesus multiplicou os peixes.

piscis
Tudo se relaciona com tudo. Peixes, o Universo em si mesmo. O produto da criação.

eyesm

vesica-pisces-as-conjunction-area-between-2-circular-waves

images3

february-calendar_pisces_150

Anúncios

Ponyo, Peixes e Netuno

Assisti há alguns dias ao fofíssimo anime Ponyo (崖の上のポニョ Gake no Ue no Ponyo), de Hayao Miyazaki, e não pude deixar de ficar surpresa – e encantada – com as diversas características simbólicas Netunianas e Piscianas que se destacam na história.


Para começar, Ponyo era uma espécie de Peixe Dourado (Peixes), com rosto humano, filha de um feiticeiro que morava no fundo do mar (Netuno) e uma deusa aquática da misericórdia (Netuno, Peixes). Ponyo morava no fundo do mar com um cardume de irmãs menores, todas com o mesmo aspecto (Peixes).

Ponyo decide conhecer a superfície, onde enfrenta alguns perigos e é resgatada e se apaixona (Peixes) por um garotinho de cinco anos, Sousuke, que também se apaixona por ela, ainda em forma de peixinho. Ponyo é levada de volta às profundezas do mar por seu pai, mas, desobedecendo-o, decide voltar para encontrar Sousuke. Sua paixão é tão forte que ela consegue se transformar em uma menina humana! Auxiliada (Peixes) pelo cardume de suas irmãs, dá um jeito de fugir (Peixes, Netuno), derrubando um caldeirão de poção mágica (Netuno, Peixes) e  provocando com isso um Tsunami! Netuno total! A força avassaladora das emoções de uma garotinha de cinco anos trazendo ondas gigantes…

A cena onde ela emerge é incrível, ela corre sobre as ondas – que na verdade mesclam-se e fundem-se em peixes gigantescos  (Peixes, Netuno) acompanhando o carro onde se encontra Sousuke.

Eles finalmente se encontram,  e se reconhecem naturalmente, como se fosse a coisa mais comum do mundo um peixe se transformar em uma garotinha (Netuno). Toda cidade fica submersa em função do Tsunami, as paisagens são totalmente aquáticas, e as pessoas da cidade se unem em um mutirão (Peixes) para ajudar os desabrigados.

Mas Ponyo não pode ficar na superfície para sempre, pois com seus poderes mágicos causaria um desequlíbrio a ponto de acabar com o Planeta Terra. Para morar com seu amigo, ela teria que abrir mão de sua magia. A Deusa – Mãe de Ponyo, então pergunta a Sousuke se ele a ama, mesmo sabendo que ela era um peixe, ao que o menino responde que “Sempre amará Ponyo, não importa se ela seja peixe, humana ou meio termo”! Mais Peixes/ Netuno, impossível!

Em uma relação menos óbvia, mas totalmente Netuniana: uma das características mais marcantes da personagem é que de uma hora para outra ela se cansava e sem mais nem menos pegava no sono, dormindo durante longas horas.

Não é incrível? É como se Miyazaki conhecesse astrologia “ocidental”… E eu, que nasci sob a lua cheia de peixes, adorei!