Astrologia e as Relações Amorosas

O que eu busco, como nós interagimos e o resultado disso tudo.

Em termos de relações amorosas, cada pessoa tem uma expectativa, uma concepção própria daquilo que considera o relacionamento ideal. Para analisarmos astrologicamente qualquer relacionamento, é imprescindível iniciarmos pelos Mapas Natais dos envolvidos. É um erro considerarmos uma sinastria como “favorável” ou “desfavorável” sem conhecer e avaliar em profundidade o que cada um dos indivíduos espera de uma relação, quais suas necessidades emocionais, a forma como eles expressam seu afeto e lidam com o amor que recebem.

Existem conceitos culturais e sociais do que seja um “relacionamento ideal” que não se aplicam a todo mundo, não trarão a felicidade afetiva para determinadas pessoas. E é isso que procuramos no Mapa Natal: entender qual é a busca particular, o Graal afetivo de cada um. Por exemplo, se uma pessoa tem uma necessidade emocional profunda de liberdade e espaço próprio, um casamento “convencional” com a constante presença do outro pode ser sufocante. Entretanto, na maioria das vezes nem nós mesmos sabemos o que queremos, ou se sabemos, temos dificuldade de nos impor perante todo um padrão social pré-estabelecido. Assim, a pessoa acha que para “se encaixar” deve operar dentro de um modelo que não é adequado para sua realização.

O Beijo, Gustav Klimt

É necessário também observarmos que os relacionamentos são poderosas ferramentas de evolução, pois funcionam como um espelho que questões profundas que devemos trabalhar. Atraímos pessoas que refletem nossa sombra, aquilo que está oculto em nós – questões as quais precisamos tomar consciência, que projetamos no outro porque não queremos lidar em nós mesmos. Não se trata sempre da simples fórmula “atraio parceiros irritados porque na verdade eu sufoco minha porção agressiva”, mas esse reflexo passa por diferentes níveis de elaboração.

Na sinastria descobrimos como as pessoas interagem, e qual a natureza desta interação. A sinastria é analisada através dos aspectos que os planetas e luminares de um Mapa Natal formam com o outro Mapa, assim como o posicionamento por casas dos planetas e luminares do Mapa A no Mapa B e vice-versa. Que efeito eu provoco no outro, e o outro em mim? Pois este efeito nem sempre é o mesmo para os dois envolvidos… podemos ver isso claramente no caso mais extremo, das paixões não correspondidas. O fato de você sentir atração por alguém, não significa que esta pessoa também será atraída por você. Questões biológicas a parte, o foco aqui é astrológico, percorrendo um terreno distinto do campo das teorias evolutivas e dos ferormônios. As paixões não correspondidas também estão relacionadas aos Mapas Individuais, pois o fato de alguém representar nossas projeções e idealizações não significa que estaremos projetando o que o outro busca também.

Na análise da sinastria é importante destacarmos também que além dos planetas, signos e casas envolvidos, se o planeta envolvido na sinastria for aspectado no Mapa Natal, a sinastria ativará todo esse aspecto, ou seja, as relações são sempre dinâmicas. Por exemplo, no caso do Sol de A fazendo conjunção com Vênus de B, sendo que esta Vênus recebe um trígono da Lua no Mapa Natal, o Sol de A ativará esse trígono com a Lua. Mas o Sol de A, fazendo conjunção com Vênus de B, sendo que esta outra Vênus recebe uma quadratura de saturno no Mapa Natal, terá um efeito diferente, pois a conjunção Sol-Vênus ativará esta quadratura.

O Mapa Composto é originado através dos pontos médios entra dois Mapas Natais, e funciona mesmo como a combinação entre os dois Mapas. Ele mostra a natureza da relação em si, é a soma energética gerada a partir da interação dos dois indivíduos. A sinastria é analítica, o composto é sintético. Na sinastria vemos como as pessoas interagem, e no composto, o resultado desta interação. É comum tanto a sinastria quanto o composto apontarem para as mesmas questões cruciais e primordiais na relação, tanto as positivas quanto as que devem ser trabalhadas. Entretanto, questões que às vezes não são explicadas através da análise da sinastria muitas vezes encontram sua solução através da interpretação do mapa composto, e vice-versa.

Uma boa sinastria e um bom Mapa composto não são garantia de uma relação duradoura, mas podem servir como indicativo. Mapas sempre mostram um potencial do que é e do que pode vir a ser. Além disso, conhecendo de antemão os pontos fortes e fracos da relação, com a análise astrológica dos relacionamentos temos uma base consciente em cima da qual trabalhar, caso ambos envolvidos considerem que vale a pena investir.

………………

Para saber mais: https://gianeportal.wordpress.com/relacionamentos/

Anúncios

Marte e o Guerreiro Interior

Marte rege o signo de Áries e tradicionalmente, é co-regente de Escorpião junto com Plutão. É exaltado em Capricórnio e está em triplicidade com os outros signos de fogo: Leão e Sagitário. Esse planeta leva o nome do deus romano da agressividade e da guerra – e esses mesmos atributos podem ser relacionados ao posicionamento deste ponto em nosso mapa Natal. Essencialmente, Marte é ação, impulso, e representa:

  • De que forma eu ajo.
  • Onde tenho a capacidade de iniciar coisas, o fogo inicial. Fala da forma como canalizo a iniciativa e a vontade.
  • É a forma como eu luto por aquilo que quero, e a forma como eu luto está ligada à agressividade. Conquisto meus desejos através do Marte.
  • Capacidade e forma de auto-afirmação / impulso auto-afirmativo e agressivo.
  • Impulso para agir decisivamente.
  • Necessidade de estímulo físico e sexual.
  • Coragem. Força de vontade voltada conscientemente para atingir uma meta válida.
  • Energia física, vigor. O Masculino.
  • Impaciência, violência, uso inadequado de força ou ameaças.
  • Assertividade, muitas vezes causando conflito.

  • No mapa da mulher:homem ideal. No mapa do homem: que tipo de homem eu sou, que tipo de imagem masculina eu projeto.

  • O signo de Marte fala da forma como os significados acima irão se apresentar, de acordo com suas características e atributos (Por exemplo: como eu ajo, qual a qualidade do meu impulso, etc). A casa astrológica que este planeta ocupa mostra a área de minha vida onde essa energia irá se expressar com mais evidência – minhas ações e iniciativas serão direcionadas com foco nos assuntos deste setor. As relações de Marte com outros pontos ou planetas – os aspectos – mostram as ajudas e os obstáculos em realizar essa ação.

    Conhecer o posicionamento de Marte no mapa, seus pontos fortes e deficientes, ajuda a entender as minhas motivações, como eu ajo no mundo e porque eu ajo dessa forma – me colocando mais próximo de meus objetivos e metas.

    Urano em Áries e os Relacionamentos

    Minha palestra no V Circuito Nacional de Astrologia tratou sobre a configuração celeste atual sob ponto de vista das relações humanas – tanto no aspecto social como pessoal. Que transformações nas maneiras de se relacionar vêm por aí? Como cada signo tende a se comportar dentro do quadro geral? Esses são os principais tópicos abordados, que foram desenvolvidos com mais profundidade na palestra ao vivo mas se encontram resumidos neste material digital.

    Segue o link para download do material em powerpoint:
    http://www.4shared.com/document/3YeRjC49/urano_aries_divulga.html

    A Dança dos Planetas

    Este artigo propõe uma abordagem astrológica correspondente à ordem das orbes dos planetas, estudando como cada planeta deriva, simbolicamente, da manifestação do planeta anterior, analisando o significado dos planetas do nosso mapa natal na mesma seqüência em que estes corpos se encontram no sistema solar.

    leia o artigo completo

    Os Astros e o Amor

    Novo artigo publicado

    Amar uma pessoa não garante um bom relacionamento com ela, mesmo que este amor seja correspondido. Existe toda uma série de outros fatores a ser levada em consideração apesar do sentimento pelo outro. Além disso, quantas vezes não nos encontramos em uma situação em que não sabemos exatamente o que sentimos, ou como estamos nos sentindo, numa mistura de sensações e emoções muitas vezes contraditórias?

    leia o artigo completo